Bem vindo(a) ao CENAPRO - Centro de Ensino e Aperfeiçoamento Profissional
 
 
 
 
 
  
NOTÍCIAS

02/03/2019
Ciência - Pesquisa
CMV e EBV: a importância da rápida detecção nos imunossuprimidos
A Mobius Life conta em seu portfólio com testes de diagnóstico molecular para detecção e quantificação do DNA dos vírus CMV e EBV
O grande desafio na distinção entre o CMV e o EBV é que em algumas situações, os sintomas e doenças de ambos os vírus podem ser muito semelhantes, causando dúvida no diagnóstico.

O número de pessoas vivendo com o sistema imune comprometido têm aumentado progressivamente, seja por causa de doenças que debilitam diretamente a defesa do organismo, como o HIV, ou pelo do uso de medicamentos imunossupressores, aplicados em pacientes de transplante de órgãos ou medula. Como consequência, o aumento na incidência de doenças causadas pela reativação de vírus oportunistas.

O citomegalovírus (CMV) e o vírus Epstein-Barr (EBV) pertencem à família do Herpesvírus humano. A maioria das pessoas tem o primeiro contato com esses vírus ainda na infância e raramente apresentam sintomas. No entanto, ambos os vírus causam problemas graves em pacientes imunossuprimidos: os órgãos alvo do CMV incluem o pulmão, a retina, o fígado, e o sistema digestório. Pode de causar úlceras hemorrágicas do trato digestivo, pneumonia em pacientes pós-transplantados, a retinite e a doença gastrintestinal em pacientes com AIDS. 

Mulheres contaminadas durante a gestação correm o risco de transmitir o vírus ao bebê, podendo causar problemas como surdez e microcefalia. Enquanto o EBV provoca infecções hepáticas e pode ser relacionado aos linfomas pós – transplante. Está fortemente associado ao desenvolvimento do Linfoma de Burkitt, carcinoma nasofaríngeo e linfoma Hodgkin e não-Hodgkin entre outros tipos de neoplasias. Também pode causar desordem linfoproliferativa pós-transplante (PTLD), considerada uma complicação potencialmente fatal. Por isso a importância do reconhecimento clínico dos vírus.

O grande desafio na distinção entre o CMV e o EBV é que em algumas situações, os sintomas e doenças de ambos os vírus podem ser muito semelhantes, causando dúvida no diagnóstico.

Os testes sorológicos (IgG e IgM) para CMV e EBV são utilizados no contexto dos pacientes imunossuprimidos, sendo na maioria das vezes com diagnóstico da síndrome da mononucleose. Algumas vezes são observadas reações cruzadas entre os dois vírus, difíceis de distinguir o real patógeno causador da doença. Desta forma, o teste molecular é o mais sensível e específico para tais diagnósticos.

A Mobius Life conta em seu portfólio com testes de diagnóstico molecular para detecção e quantificação do DNA dos vírus CMV e EBV*. E a metodologia molecular pode ser utilizada para acompanhamento da progressão da doença, distinção da infecção sintomática da assintomática, controle da eficácia do tratamento antiviral e, se necessário, permite a alteração da terapia com a droga imunossupressora que pode resultar na regressão da doença proliferativa, já que o estado imunológico do paciente influencia no desenvolvimento de patologias relacionadas ao CMV e EBV.
LabNetwork

« Voltar
  
 
Desenvolvido por:
Centro de Ensino e Aperfeiçoamento Profissional - CENAPRO
CNPJ: 020.149.945/0001-87 - BELÉM/PA
Fone: (91) 3259-0673
Claro / Whatsapp: (91) 98551-9146
Tim
: (91) 98309-5846
Sistema Antistress: